Ventilação mecânica e a saúde bucal na UTI


15/08/2018

A saúde bucal dos pacientes pode prevenir infecções respiratórias em pacientes na UTI. Um estudo realizado sugere que o cuidado odontológico – de escovação a restaurações – evita ocorrências como pneumonia, em pacientes em ventilação mecânica.

As infecções respiratórias relacionadas à ventilação mecânica estão entre os principais quadros desfavoráveis que afetam pacientes internados em UTIs. Avalia-se que o risco de pneumonia seja entre 6 e 21 vezes maior. A boca é, naturalmente, um reservatório de bactérias por suas características de temperatura, umidade, pH e nutrientes. Esses microrganismos, se aspirados, podem causar pneumonia ao encontrar secreções nos pulmões.

A limpeza bucal na UTI, praticada hoje em dia na maioria dos casos, costuma incluir apenas o uso de gazes e antissépticos, administrados por profissionais da enfermagem.

O cuidado-padrão da enfermagem se dá pela limpeza da cavidade bucal com uma espátula envolta em gaze e a aplicação de clorexidina, um anti-bacteriano.

Pesa o fato da saúde bucal do brasileiro, em geral, ainda ser ruim. O levantamento SB Brasil, do Ministério da Saúde, mostra que, aos 12 anos, 56,5% dos brasileiros já tiveram pelo menos uma cárie. A prevalência de doenças inflamatórias crônicas nas gengivas (periodontite), causada por bactérias, também é alta. Na faixa etária de 35 a 44 anos é de 82,2% e chega a 98,2% entre 65 e 74 anos.

Cuidar da saúde bucal dos pacientes, além de influenciar de maneira importante o desfecho clínico ao evitar eventos adversos, afeta também os custos de saúde.

A Coenf se atenta a essas questões e sempre atualiza seus profissionais para a excelência dentro da assistência domiciliar e hospitalar.

Estamos de olho!